Envie um Whatsapp
Ligue Agora

A ideia de que cirurgia plástica não deixa cicatrizes deve-se ao fato de que, geralmente, esse tipo de cirurgia está ligado a motivos estéticos, ou seja, não faria o sentido para o paciente realizar um procedimento como esse para sair dele com marcas muito evidentes.

No entanto, é errado pensar que cirurgias plásticas não deixam cicatrizes. Assim como qualquer trauma que lesa um tecido, seja ele pele ou músculo, esse tipo de cirurgia deixará alguma marca pele, mesmo que quase imperceptível.

Um dos diferenciais para o sucesso de uma cirurgia plástica é o cuidado que o cirurgião plástico tem ao realizar o procedimento, a cirurgia deve ser feita pensando no resultado final e isso inclui a parte de cicatrização. Isso pode ser feito utilizando técnicas minimamente traumáticas, com fios especiais e pouca tensão. Outro detalhe que dificulta a visibilidade da cicatriz na cirurgia plástica é a localização, que fica escondida em locais pouco visíveis, fazendo com que pareça não existir.

Conheça os tipos de cicatrizes

O que varia de uma cicatriz para outra é a sua qualidade e aparência: fina, grossa, alargada, plana ou em alto relevo. A qualidade da cicatriz se deve a três principais condições: técnicas cirúrgicas, cuidados do paciente durante o período pós-cirúrgico e os fatores individuais e genéticos.

Alguns tipos de cicatrizes:

    • Queloide: queloide é um tipo de cicatriz espessa e elevada e pode se estender para além do ferimento. Na maioria das vezes pode ocorrer por conta de fatores individuais do paciente; do tipo de ferimento e da localização da cicatriz
    • Hipertrófica: muito parecida com a queloide em aparência, sua principal diferença é não se estender por pontos além do ferimento, tendo chances de regredir com o tempo;
    • Alargada: essa cicatriz tem aparência mais rasa e esparramada e pode acontecer devido tensão nas margens do ferimento, ou até mesmo ruptura dos pontos internos e externos, forçando a cicatrização da ferida aberta;
    • Discrômica: são cicatrizes que ficam mais claras ou mais escuras do que a pele ao seu redor. Acometem geralmente pessoas com pele parda ou são resultados de cicatrizes expostas precocemente ao sol.

Com o passar do tempo, a cicatriz se torna menos notável, por isso, para ter um diagnóstico final, é ideal esperar. Muitas cicatrizes intoleráveis se tornam aceitáveis após um período de 3 a 18 meses.

Principais cuidados e tratamentos para as cicatrizes

O cuidado com a cicatriz deve começar pelas mãos do cirurgião ao escolher a técnica e material utilizado no procedimento. Feito isso, alguns cuidados pós-cirúrgicos feitos pelo paciente podem ajudar a prevenir o aparecimento de cicatrizes hipertróficas e queloides, por exemplo.

Para começar, é importante seguir passo-a-passo das instruções médicas durante todo o pós-cirúrgico, evitando soluções por contra própria.

As principais recomendações médicas geralmente pedem atenção à higiene do local e pedem ao paciente que evite tensão na cicatriz. Pegar peso, realizar movimentos bruscos, entre outros devem ser evitados, principalmente nas primeiras semanas. Fazer o uso de cremes específicos, conforme orientação médica, também pode ser uma boa saída.

Fábio Saito

Cirurgião Plástico com formação pela USP e membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, Sócio Diretor da Essere Clínica Médica, apreciador de um bom café e de bons momentos da vida. No Insta você pode mandar DM no @fabiosaitocirurgiaplastica